Tags

, , , , , , , , , , , , ,

172-horas_frente4_1.jpg.1000x1353_q85_crop

Sinopse: 

O ano é 2018. Quase cinco décadas desde que o homem pisou na Lua pela primeira vez.Três adolescentes comuns vencem um sorteio mundial promovido pela NASA. Eles vão passar uma semana na base lunar DARLAH 2 – um lugar que, até então, só era conhecido pelos altos funcionários do governo americano.
Mia, Midore e Antoine se consideram os jovens mais sortudos do mundo. Mal sabem eles que a NASA tinha motivos para não ter enviando mais ninguém à Lua.
Eventos inexplicáveis e experiências fora do comum começam a acontecer…
Prepara-se para a contagem regressiva.

Título: 172 Horas na Lua 
Título original: Darlah – 172 Timer På Månen
Autor: Johan Harstad
Ano: 2015
Páginas
: 288

Editora: Novo Conceito

Livro cedido através da parceria com a editora

MUITO BOM!

MUITO BOM!

Skoob | Goodreads | Submarino

Resenha:

O livro me ganhou da sinopse a capa, mas eu não sabia que ia gostar tanto!

Imagine se você ganhasse um sorteio da NASA para a próxima viajem à Lua. Pois bem, em 172 Horas na Lua, acompanhamos três jovens que ganharam esse sorteio no ano de 2018. Mas, nem tudo são flores, o que esse jovens não sabiam, é que nas viagens anteriores coisas misteriosas aconteceram, logo mantidas em segredo.

O livro possui muito suspense e te deixa tenso por não saber o que realmente está acontecendo. O autor não perdeu tempo com enrolação, por isso o livro é curto com apenas 288 páginas, algumas ilustradas que facilitam e afloram nossa imaginação. 

“Não conseguia se livrar do pensamento incômodo de que a visão da noite anterior fora um sinal. Um sinal de que ele deveria ficar longe dos céus. Um sinal de que lá em cima era perigoso.”

Nossos protagonistas são apresentados logo no começo, cada um com suas histórias e medos. Mia tem uma banda e a última coisa que queria era ir para a Lua, mas sua mãe a inscreve sem seu consentimento, que aos poucos vê do momento uma oportunidade, divulgar sua banda para o mundo. Midori quer sair do Japão e do conservadorismo do país. Já Antoine se inscreve para ficar longe da sua ex-namorada que partiu seu coração. Contudo percebemos uma única coisa em comum entre os personagens: nenhum se inscreveu com a verdadeira intenção de visitar a Lua, mas como uma oportunidade seja para crescimento pessoal ou para fugir das suas frustrações. 

O livro é muito bom! Sem palavras para o final. O autor conseguiu desenvolver cada parte da história que é dividade em três partes: antes, durante e após a viagem, sendo misterioso e assustador. Por ser curto, isso complica um pouco de falar o porquê que gostei tanto do livro, já que não quero dar spoilers. 

“No espaço, ninguém pode ouvir você gritar.”

Vou deixar claro uma coisa, não vão achando que o livro é ficção-científica, porque é apenas um livro de suspense que se passa no espaço. Okay? Okay.

Anúncios