4 Estrelas, Adaptações, Resenhas

Resenha: Good Omens – Belas Maldições por Neil Gaiman e Terry Pratchett

518swp1u0jl

Sinopse:

O mundo vai acabar em um sábado. No próximo sábado, para falar a verdade. Pouco antes da hora do jantar. Não há nada que possa ser feito para frustrar o Grande Plano divino. Mas quando uma freira satanista um tanto distraída estraga um esquema de troca de bebês e o pequeno Anticristo acaba sendo entregue ao casal errado, tem início uma série de erros cômicos que podem ameaçar o próprio Armagedom. Aziraphale é um anjo que atua na Inglaterra e dono de um sebo nas horas vagas. Crowley é um demônio e ex-serpente responsável pela mesma região. Ambos veem nessa confusão uma grande oportunidade, porque os dois, que vivem entre os humanos desde o Princípio, apegaram-se demais ao mundo para desejar a grande batalha entre o Céu e o Inferno. Em sua jornada para evitar o Armagedom e encontrar o Anticristo, agora um menino de 11 anos vivendo tranquilamente em uma cidadezinha inglesa, eles acabarão trombando com uma jovem ocultista, dona do único livro que prevê com precisão os acontecimentos do fim do mundo, com caçadores de bruxas ainda na ativa e, quem sabe, até com os Quatro Cavaleiros do Apocalipse. Mas eles terão de ser rápidos. Não é só o tempo que está acabando… Esta edição contém a tradução revisada a partir do original revisto, aprovado por Neil Gaiman e pelo Pratchett Estate, que corrige vários erros de digitação e imprecisões presentes em edições anteriores.

Título: Good Omens: Belas Maldições
Título original: Good Omens
Autores: Neil Gaiman e Pratchett Estate
Ano: 2019
Páginas: 364
Editora: Bertrand Brasil

4 SABRES

Resenha:

Este é um bom momento. Ler o romance agora nos preparará muito bem para a adaptação da TV estrelada ainda este ano, mais precisamente dia 31 de maio, então está beeem próximo. Embora o romance de 1990 não necessariamente forneça soluções, pode ao menos nos ajudar a rir do absurdo de nossa situação atual.

Mas mesmo as piores previsões para 2019 não correspondem exatamente aos eventos em Belas Maldições. No livro, o Fim dos Tempos está chegando, mas – graças a uma confusão em uma maternidade – o anticristo vive na pequena cidade de Oxfordshire. Ele é um garoto comum (com alguns poderes mágicos úteis) e ainda não percebeu o que o destino tem reservado para ele, resultando em algumas surpresas para todos, incluindo o anjo Aziraphale e o demônio Crowley, que se unem para parar o apocalipse e salvar a Terra.

Pelo que me lembro, o resto do livro faz jus a essa fantástica premissa e depois a algumas. Dito isso, devo também admitir que li pela última vez Belas Maldições logo após a primeira publicação aqui no Brasil em 2017 (o livro foi de fato publicado nos anos 90).

Uma das alegrias do livro que eu me lembro claramente é cavar as notas variadamente iluminadas, desviadas e absolutamente ridículas com as quais Pratchett e Gaiman enriqueceram sua história.

Pratchett e Gaiman conseguiram criar uma história que une grandes doses de sátira, cinismo e humor maluco, não convencional em uma observação coesa, embora surpreendentemente precisa, da vida humana em todo o mundo. Os personagens, um dos maiores pontos fortes deste livro, trazem muito charme e humor ao livro.

Os enredos secundários são outro ponto forte desta história que, apesar de ser aparentemente aleatória e independente, as histórias estão, na verdade, estabelecendo uma base sólida para o enredo principal, fornecendo muitas informações e suporte relevantes. Também existem alguns enredos laterais e personagens que realmente não adicionam muito à história e sentem que estão lá apenas para pegar algumas risadas baratas.

A descrição acima apenas arranha a superfície do que é um conjunto muito amplo, mas complexo de personagens e enredos, porque eu precisava de um limite para evitar que o que eu escrevesse se tornasse algo sem sentido e desajeitado. Há tanta coisa acontecendo, tantos pequenos detalhes para acompanhar, e ainda assim consegue se reunir muito bem para formar uma grande história sobre o que significa ser humano.

Até a próxima! Deixem seus comentários logo abaixo.

4 Estrelas, Editora Record, Parceiro, Resenhas

Resenha: Entre as Estrelas por Katie Khan

71Gv4B4mnpL.jpg

Sinopse: 

Nada na Terra poderá separá-los. Um romance futurista surpreendente sobre o impacto do primeiro amor e como nossas escolhas podem mudar o destino de todos ao nosso redor Num futuro não muito distante, após a aniquilação dos Estados Unidos e do Oriente Médio, a Europa nada mais é que uma utopia na qual, a cada três anos, a população se muda para uma nova comunidade multicultural. Em um desses paraísos, Max conhece Carys, e é amor à primeira vista. Ele logo percebe que Carys é a pessoa com quem deseja passar o resto da vida — uma decisão impossível nesse novo mundo. Conforme o relacionamento dos dois se desenvolve, a conexão entre o tempo deles na Terra e o dilema atual no espaço vai sendo revelado. À deriva entre as estrelas, com apenas noventa minutos de oxigênio, eles concluem que só um deles tem a chance de sobreviver. Mas quem?

Título: Entre as Estrelas 
Título original: Hold Back the Stars: A Novel
Autora: Katie Khan
Ano: 2017
Páginas:
280

Editora: Bertrand Brasil

Amazon

Livro cedido através da parceria com a editora

4 SABRES

Resenha:

Acredito que a maioria dos jovens hoje, que tem em média mais de 20 anos, sonhavam em ser astronauta. Lembro que sempre pensava numa aventura fantástica e ao mesmo tempo tinha medo da descoberta de coisas das quais ainda não temos conhecimento, de fato. Nunca assisti 2001 – Uma Odisseia no Espaço, mas conheço o Tintin e lembrei-me um pouco do personagem, um passageiro clandestino em um foguete, se sacrifica saindo do espaço quando fica claro que não há oxigênio para todos os outros. Nada. Nem bruxas, nem monstros sob a cama ou Voldemort. Me assustaram tanto quanto o pensamento de morrer sozinho em uma escuridão infinita, flutuando a milhares de quilômetros da Terra e sufocando lentamente.

Entre as Estrelas é sobre isso. À medida que o livro vai tomando um rumo, Carys e Max estão caindo livremente pelo espaço. Sua nave gravemente danificada, o Laertes, está atrás deles e recuando a cada minuto. E cada minuto conta: eles têm noventa restantes em seus tanques de oxigênio. Depois disso, se eles não conseguirem voltar para a nave ou conseguirem que a Al dirija um drone via satélite, eles vão sufocar.

A maior parte da história é contada em flashbacks, mostrando-nos como a Carys e Max se conheceram e se apaixonaram. Katie Khan criou um mundo quase familiar, que sofre de uma invasão nuclear como resultado de uma guerra entre os EUA e “Oriente Médio”. A Europa tornou-se a Europia, uma coleção de regiões conhecidas como Voivodes através das quais os cidadãos são embaralhados a cada três anos em um programa chamado Rotation. Pretende-se desencorajar os indivíduos de se tornarem excessivamente ligados a um lugar. Qual a melhor forma de combater a xenofobia e os vários perigos do orgulho nacionalista do que garantir que todos sejam de todos os lugares, ou de nenhum lugar?

A captura é a Regra de Casais, que estipula que ninguém pode entrar em um casamento ou uma parceria civil, de preferência, nem mesmo um relacionamento sério, antes dos trinta e cinco anos. Carys e Max têm vinte e poucos anos quando se encontram. Não é o mais suave dos romances: Max é de uma das famílias fundadoras da Europia, pessoas que acreditam firmemente na correção das regras, e Carys quer uma demonstração de compromisso que ele achou difícil de dar. Eventualmente, no entanto, querendo provar seu amor por ela, ele não apenas a apresenta aos pais, mas pede ao governo da Europânia uma isenção à Regra de Casais. A legislatura concorda em dar ao casal uma corrida de julgamento como um casal, mas não dentro da Europia. Em vez disso, eles são “voluntários” para uma missão espacial para tentar encontrar uma rota navegável através do campo de asteroides que inexplicavelmente cercou a Terra desde o tempo da guerra nuclear.

18254-NRI32X.jpg

Entre as Estrelas é uma espécie de ficção científica. Todas as armadilhas estão lá: catástrofe política global, nova ordem mundial, mudanças ambientais, nomes alterados para objetos ou fenômenos familiares, níveis aumentados de tecnologia doméstica, governo grande e impessoal. É, pelo menos, uma distopia real. Eu fico com tédio quando as pessoas lançam a palavra em torno imprecisamente, mas no caso deste livro é quase tão apto: a população da Europia acredita estar vivendo no melhor de todos os sistemas possíveis na Terra ignorada (eles até incorporaram a palavra “utopia” em seu novo nome), mas não funciona para todos e não é tão imparcial. No entanto, se você já leu mais do que o mais minimo golpe de ficção suavemente especulativa, ou viu mais de três episódios de Doctor Who, você provavelmente encontrará a atmosfera do livro um pouco chata.

De qualquer forma, a ficção científica é leve porque Entre as Estrelas não está interessado em suas próprias implicações teóricas. Está muito mais interessado em ser uma história de amor, e nisso, é bem sucedido. E enquanto Khan carrega sua história, vemos o valor disso, por causa da natureza do giro da trama.

Entre as Estrelas é uma história de amor evocativa, solidamente escrita, pendurada em um quadro futurista. As páginas de abertura absolutamente te convidam a um desafio para ler, e é fácil se investir no que acontece depois. Provavelmente não vou lê-lo novamente. Eu não sou seu leitor ideal. Mas se você está procurando uma história de amor absorvente, acelerada e bastante encantadora, tá esperando o que para adquirir o livro?!

4 Estrelas, Adaptações, Resenhas

Resenha: O Aprendiz – As Aventuras do Caça Feitiço – Joseph Delaney

 Sinopse: Thomas Ward é o sétimo filho de um sétimo filho e se tornou aprendiz do Caça-Feitiço. A missão é árdua, o Caça-Feitiço é um homem frio e distante, e muitos aprendizes já fracassaram. De alguma forma, Thomas terá de aprender a exorcizar fantasmas, deter feiticeiras e amansar ogros. Quando, porém, é enganado e cai na armadilha de libertar Mãe Malkin, a feiticeira mais malévola do Condado, tem início o horror… e uma grande aventura!

Título:  O Aprendiz – As Aventuras do Caça Feitiço  
Título original: The Spook’s Apprentice
Autor: Joseph Delaney 
Ano: 2008
Páginas
: 224

Editora: Bertrand Brasil

Resenha:

Em O Aprendiz, acompanhamos a vida de Tomas e seu mestre de feitiços passando por diversas situações perigosas. As Aventuras do Caça-Feitiço, já possui 13 volumes publicados lá fora e aqui no Brasil já são oito. Os livros fizeram um sucesso estrondoso e conquistaram milhares de fãs. O reconhecimento fez com que o mesmo ganhasse uma adaptação para o cinema, estrelado por Ben Barnes (Tomas Ward), Julianne Moore (Mãe Malkin) e Jeff Brides (Mestre Gregory).

Continue lendo “Resenha: O Aprendiz – As Aventuras do Caça Feitiço – Joseph Delaney”