Adaptações, Artigos, Curiosidades, Terror

VOCÊ CONHECE A HISTÓRIA DE “EU SOU A LENDA”?

eu-sou-a-lenda-wall-1080x675-1

Ao ouvir de falar ‘Eu Sou A Lenda’ a maioria das pessoas lembra do filme de 2007 que conta com Will Smith no papel principal do brilhante cientista Robert Neville. No blockbuster de 2007, o personagem de Will Smith enfrenta uma verdadeira infestação zumbi que domina o mundo e a cidade de Nova York. O que muitas pessoas não sabem é que o filme de Francis Lawrence é baseada no livro de 1954 de Richard Matheson e não é a única adaptação feita da história para as telas.

O conto de Richard Matheson, que já foi lançado no Brasil como A Última Esperança sobre a Terra e também como Eu Sou A Lenda, já foi adaptado para as telas em The Last Man on Earth (1964), A Última Esperança da Terra (The Omega Man, 1971 – com Charlton Heston no papel principal) e A Batalha dos Mortos (I Am Omega, 2007 – mesmo ano da estréia do filme que contou com Smith).

O mais surpreendente é que o livro original não trata de zumbis e sim de uma praga que transforma as pessoas em vampiros! Uma excelente HQ de Steve Niles e Elman Brown adaptou de forma perfeita a obra de Richard Matheson para a mídia. A história chegou ao Brasil em 2010 em uma edição da Devir com a história completa!

eu-sou-a-lenda-0002

As Diferenças do Filme para a HQ “Eu Sou A Lenda”

Ao contrário do que acontece no filme de 2007, a história original de Eu Sou A Lenda apresenta um Robert Neville não tão genial e focado quanto o personagem interpretado por Will Smith. Na HQ de Steve Niles e Elman Brown (e no livro de Richard Matheson), o personagem principal ainda é inteligente e determinado mas seu sofrimento é constante e ele abusa do álcool e do cigarro de forma constante para fugir de suas frustrações. A praga vampiresca da revista também apresenta características distintas e mostra um certo nível de inteligência que os zumbis do longa não deixam claro até os momentos finais do filme.

A dinâmica da HQ, que possui desenhos sombrios que geram uma sensação de perigo e claustrofobia o tempo inteiro, faz questão de mostrar o quanto o dia-a-dia de Neville é sofrido e solitário (nada de cães para aliviar a solidão aqui). O tormento provocado nas noites, principalmente pelo seu antigo vizinho Ben Cortman, são os pontos altos da história. Aqui os vampiros sabem onde é a casa de Neville e passam as noites berrando para que ele saia dela – onde fica trancado com diversos itens do lado de fora que impedem a entrada do raivoso bando.

eu-sou-a-lenda-0001

O pessimismo é muito mais latente na HQ do que na adaptação para o cinema e, assim como Neville, é fácil nos pegarmos tentando entender porque o personagem não acaba logo com a sua própria vida. A obra original de Richard Matheson, que é seguida de forma bem fiel na HQ, vai fazendo com que Robert Neville evolua pouco a pouco e a mudança é nítida conforme o personagem vai perdendo suas conexões com o passado e enterrando suas memórias.

A HQ Eu Sou A Lenda não dá margem para termos esperança. A história mostra, ao contrário do filme homônimo de 2007, que a luta de Robert Neville é pela sobrevivência e que a raça humana como um todo já se perdeu a algum tempo – ele cita algumas vezes uma guerra que deve ter desencadeado a ascensão dos vampiros.

eu-sou-a-lenda-0003

Tanto o filme quanto a HQ de Eu Sou A Lenda tem seus méritos. Porém a HQ se mantém mais fiel ao original de Richard Matheson e funciona mais enquanto produção de terror.

Conseguindo nos fazer arrepiar e sentir o desespero de Neville em cada página, a HQ Eu Sou A Lenda é uma excelente leitura para os amantes do gênero e para quem só conhece a história pelo filme protagonizado por Will Smith

Curiosidades

O fenômeno: Webtoons, os quadrinhos digitais sul-coreanos

Quadrinhos feitos exclusivamente para a internet – alguns até com trilha sonora própria.

o-fenomeno-webtoons-1
Solo Leveling, Chu-Gong

A Hallyu ou Onda Coreana, é a popularização mundial da cultura coreana que está acontecendo em diversas áreas principalmente na música, cinema e televisão.

E, dentre essas tendências estão as webtoons – formato de quadrinhos coreanos disponibilizados na internet que tem um estilo mangá, mas que é facilmente possível diferenciá-los. Para chegar à popularidade que têm hoje, as produções tiveram que percorrer uma longa trajetória, passando por censura, crise no mercado editorial, e até por uma modificação na estrutura geral: a invenção e popularização dos smartphones e da internet móvel.

A combinação das palavras “web” e “cartoon”, a webtoon tem como principais caracteríticas ser uma história em quadrinhos periódica, lançada digitalmente, e desenvolvida pensando na leitura em rolagem vertical, seja de um navegador ou dos próprios aplicativos no celular.

Os capítulos são coloridos e apresentam ordem de leitura da esquerda para a direita, de cima para baixo, e não são separados por páginas, adotando um formato de “rolagem infinita”. Alguns títulos apresentam trechos com trilha sonora ou pequenas animações no meio dos capítulos, ampliando a imersão do leitor no mundo proposto pelo autor.

MULTIMÍDIA E FANDOM

Por ter a possibilidade de utilizar diversas plataformas para apoiar a história, as vezes as webtoons criam universos enormes e ricos que vão além das páginas dos quadrinhos. Um desses casos é o de Lost in Translation, uma webtoon que segue a história do Mayhem, um grupo de idols em ascensão que tem que lidar com os problemas que podem vir junto com a fama.

Logo no primeiro capítulo, o leitor é acompanhado por uma música enquanto o grupo faz um show. A presença de trilha sonora amplia a imersão e a sensação de que estamos realmente acompanhando a trajetória do Mayhem. Por se tratar de uma história sobre música, faz todo o sentido que o autor utilize esse tipo de mídia em parceria com a arte.

lost-in-translation-webtoon
Lost in Translation, webtoon que tem até trilha sonora

A música está disponível no YouTube, mas o grupo fictício também marca presença em redes sociais como Twitter e Instagram, dando aos fãs muito conteúdo para acompanhar e a possibilidade de interagir diretamente, como fariam com um artista de quem gostam.

O Naver Webtoon é uma das plataformas mais populares para a publicação desse tipo de conteúdo, e conta com uma versão internacional do site e do aplicativo, o que atraiu alguns cartunistas e ilustradores populares das redes sociais de outros países. O artista americano Shenanigansen, também conhecido como Shen, é um dos exemplos: ele publica a série Bluechair e a Live with Yourself na plataforma.

A Netflix anunciou, por enquanto, para os Estados Unidos, a série All Of Us Are Dead, uma adaptação da webtoon Right Now in Our School (Agora na nossa escola, em tradução livre) que conta a história de um grupo de estudantes tentando sobreviver a um apocalipse zumbi. A trama será adaptada para o formato de série. A empresa também vai produzir a série animada Hellbound, com base em uma webtoon chamada Hell.

all-of-us-are-dead-netflix-1
Webtoon de Joo Donggeun, All Of Us Are Dead, que vai ganhar adaptação pela Netflix

Explorar as centenas de webtoons publicadas semanalmente em aplicativos e sites como o Naver pode ser um pouco complicado caso você não saiba coreano ou inglês: o português do Brasil não é uma opção na hora de ler as webtoons oficialmente.

Portanto, para que a Onda Coreana chegue de vez por aqui, no que se refere as webtoons, ainda é preciso que as empresas invistam em traduções, em aplicativos que entendam o formato e que as editoras descubram o potencial das produções coreanas. A NewPop deu um primeiro passo ao anunciar a publicação de Solo Leveling, de Chu-Gong, tanto na versão manhwa quanto as light novels, um formato que mistura o tradicional dos livros com ilustrações no estilo de mangá.

Por aqui, também é possível acompanhar as histórias de Tower of God e The God of High School. A Crunchyroll produziu e está lançando episódios de anime que adaptam essas webtoons, disponíveis com legendas em português na plataforma.

 

Fonte: Jovem Nerd

 

Editora Draco, Parceiro

Parceiros: Editora Draco | 2015/2016

faking-it

Bom dia, meus nerds! Como vão?

Hoje, mais uma vez hahaha, estou aqui para anunciar mais um parceria, dessa vez com a Editora Draco. A Editora Draco quer fazer conhecido a literatura fantástica brasileira, tão nosso e único, mesmo influenciado por obras estrangeiras. O dragão despertou e convida a todos para desfrutar desse tesouro.

Conheçam algumas das obras:

5 Estrelas, Conrad Editora, Resenhas

Resenha: Surtada na Dieta – Quero Emagrecer Vol. 1 – Neonb e Caramel

Sinopse:

Sujee come compulsivamente, depois fica com a consciência pesada e tenta — apenas tenta — fazer dieta. Ela tem 25 anos e sempre sonhou que um dia emagreceria e poderia se vestir de um jeito mais compatível com a sua idade. Agora, Sujee está em uma duvidosa empreitada rumo ao corpo saudável.
Para conquistar sua meta, ela vai receber o apoio do personal trainer Chan-Hee, que passa a morar na sua casa e a tomar conta da cozinha, virando seu mundo de cabeça pra baixo. E também vai sofrer com as tentações oferecidas por seu chefe comilão, que é apaixonado por ela.
Surtada na dieta é o primeiro volume da trilogia QUERO EMAGRECER, que vai contar o dia a dia de Sujee com muito humor e doses de nonsense. 

Título: Surtada na Dieta
Título original:
Autor: Neonb e Caramel
Ano: 2015
Páginas
: 302

Editora: Conrad Editora

Skoob | Goodreads

Resenha:

Surtada na Dieta superou minhas expectativas. Além de ser um livro motivacional, traz a realidade de muitos que preferem uma coxinha a um prato de salada, eu me divertir bastante com a Sujee e com a forma didática que envolve os HQ’s.

Continue lendo “Resenha: Surtada na Dieta – Quero Emagrecer Vol. 1 – Neonb e Caramel”

Caixa de Correio

Caixa de Correio #3: Companhia Editora Nacional

A minha felicidade esta manhã ao acordar foi ouvir o carteiro me chamar! (rimou kkkkkk)

Mais livros da Editora Nacional, e como sempre arrasando na capa e diagramação. Estou animadíssimo para começar minhas leituras, principalmente do lançamento Deserto de Ossos, Chris Bohjalian. Outro livro que amei ter recebido, eu já estava de olho à um tempo foi Sequestrados, Robert Crais. E para finalizar a Conrad me faz uma surpresa e me deu uma coleção de tirinhas do Calvin e Haroldo, Bill Watterson, com tirinhas de 1985 – 1995. ❤ ❤

Como podem ver, tenho muita aventura para viver! (rimou de novo ¬¬) Em breve publicarei as resenhas dos respectivos livros que recebi de cortesia, devido parceria com o blog. Obrigado! 😀

NICK NERDBOOKS 2